Marcelo de Carvalho, dono da Rede TV!, faz previsão assustadora sobre futuro do Brasil



– Advertisement –

Marcelo de Carvalho / Reprodução: Youtube
O dono da RedeTV!, Marcelo de Carvalho, decidiu se pronunciar sobre a crise que o Brasil vem enfrentando ao meio do surto de coronavírus. Após o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, na última terça-feira (24), o debate foi criado sobre a permanência da quarentena para as pessoas que não fazem parte dos grupos de riscos.
Bolsonaro pediu que as pessoas voltassem ao ritmo normal e chamou o vírus de “gripezinha”. Hoje, Marcelo também disse o que acha sobre os rumos que o país tomará caso as pessoas não voltem ao trabalho.
– Advertisement –

+Após reatar namoro, Marcelo de Carvalho e Simone Abdelnur curtem Ilhabela
“Nós temos hoje, no mundo, aproximadamente 400 mil casos de coronavírus, com aproximadamente 20 mil mortes. Isso é lamentável, é uma epidemia muito grande. Cada uma dessas mortes é uma tragedia para nós, cada uma dessas mortes é uma tragedia para os parentes. Essas pessoas têm nome, sobrenome. Tem pessoas queridas, ninguém é anônimo aí. É muito ruim ter um morto, que dirá 20 mil. É muito ruim ter um doente, que dirá 400 mil”, iniciou o empresário.
– Advertisement –

+Marcelo de Carvalho, dono da Rede TV, esculacha colunistas e esclarece polêmica
Marcelo seguiu a declaração e, após lamentar as mortes, explicou que, apesar de triste, todo ano pessoas morrem por conta de gripes. “Só que é o seguinte, pessoal, a gripe comum não mata 20 mil. Os dados da OMS dizem que a cada ano a gripe mata entre 300 e 650 mil pessoas, por ano. Não são 20, são 650 mil. E nunca vocês ouviram falar que cidades inteiras, estados inteiros, países inteiros param por causa da gripe”, disse. 
Ele finalizou o desabafo falando sobre o medo do futuro do país.
+Após fim de namoro, Marcelo de Carvalho e Antonia Fontenelle estariam vivendo romance
“O que acontece quando o Brasil para? Agora, as pessoas que estão respeitando a quarentena, estão em casa, estão até achando bom…Só que, nesta semana, é isso. Na semana que vem vão começar as demissões. Agrande maior parte dos empregos do Brasil não é das grandes empresas que podem, agora,  tentar talvez dar férias coletivas para pagar as férias lá na frente, se virar, conseguir linhas de financiamento…A grande parte dos empregos do Brasil são de pequenas e microempresas”, completou.

A hora eh de união nacional para derrotarmos a epidemia mas não arrebentarmos com a economia do Brasil. pic.twitter.com/a9uLly4b6b
— Marcelo de Carvalho (@MarceloCRedeTV) March 25, 2020